Onde Publicam os Pesquisadores Brasileiros?

    O trabalho fornece uma visão geral sobre os padrões de comunicação da comunidade acadêmica brasileira (2000-2016). Realizou-se uma análise bibliométrica a partir dos dados do Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq sobre a produção científica dos pesquisadores doutores brasileiros: artigos de circulação nacional e internacional, livros, capítulos de livros e trabalhos completos publicados em anais de eventos. Foram representadas graficamente as séries temporais desses tipos de documentos, bem como as das razões entre artigos de circulação nacional/internacional e artigos/monografias. Os artigos em periódicos constituíram o veículo predominante, mostrando equilíbrio entre os de circulação nacional e internacional até 2010; posteriormente, observou-se uma tendência à internacionalização. Nas ciências “duras”, prevaleceram os artigos em revistas, preeminentemente, em idioma inglês; os pesquisadores publicaram ~ 6-7 artigos para cada monografia. Mudanças nos padrões de publicação foram observadas, particularmente, a diminuição significativa dos trabalhos completos em anais, bem como o passo, nas Ciências Agrárias e da Saúde, de uma produção predominante de artigos de circulação nacional, para outra, na qual prevaleceram os de circulação internacional. Nas “brandas”, nenhum canal de comunicação mostrou predomínio; os pesquisadores publicaram em torno de 1-2 artigos para cada monografia e, a circulação nacional dos artigos prevaleceu sobre a internacional.